A OPP incomoda o Sindicato dos Enfermeiros

Ao que parece, as minhas declarações incomodam o Sindicato dos Enfermeiros, tal como expresso em texto do seu presidente de Direcção. O seu presidente está incomodado com o que acha ser a falta de demonstração da eficácia da intervenção psicológica,  e com as supostas certezas que tenho sobre o assunto, ou a infalibilidade dos psicólogos.

Desconheço as qualificações em termos de conhecimento de Psicologia do senhor presidente do Sindicato, mas sei, pelo que escreve, que desconhece por completo os estudos que se fazem sobre eficácia da intervenção psicológica. São décadas de preocupação com resultados, com comparações, com avaliações que continuam a informar o saber psicológico. Sempre pautado por uma consciência de que é um saber científico, sempre em revisão, e por isso falível.

Mas não menos útil para as pessoas, pois ajuda-as na sua vida. Seja na saúde, nas escolas, nas organizações ou na comunidade. Milhares de psicólogos em todo o mundo trabalham diariamente para o alívio do sofrimento das pessoas, e são reconhecidos por isso. E por isso mesmo temos de continuar a divulgar as conquistas da psicologia, as suas aplicações, a forma como contribui para as sociedades.

Que o senhor presidente do Sindicato ignore é problema que tem fácil resolução. Leia, estude, faça as críticas baseadas em factos.  Mas parece-me que aqui o problema é outro, não é? Felizmente, não fala por uma classe profissional.

Mas, no final do seu texto, acha que os enfermeiros deviam fazer o mesmo que aos psicólogos reprova.  Em defesa da sua profissão.Faz muito bem, mostre estudos e resultados, como nós o fizémos no relatório que produzimos para divulgação e que pode ir descarregar no nosso site. Pode ser que assim aprenda quais são as competências, capacidades e realizações das diferentes profissões.

Sobre Telmo Mourinho Baptista

Bastonário da Ordem dos Psicólogos
Esta entrada foi publicada em Reflexões do Bastonário com as etiquetas , , . ligação permanente.

6 respostas a A OPP incomoda o Sindicato dos Enfermeiros

  1. Teresa Chuva diz:

    Foi com muito orgulho que li este post.
    É com muito orgulho e dedicação que sou psicóloga e acredito na minha/nossa profissão e na sua validade.
    Foi com pena (sim, essa palavra triste) que li o texto do sr. Director do Sindicato dos Enfermeiros, pois conheço o profissionalismo e a não-ignorância de muitos enfermeiros (cada vez mais, felizmente) relativamente ao nosso trabalho.
    Foi e é com gratidão que olho e sinto a postura do meu/nosso Bastonário, o seu Conhecimento, a sua Dedicação e Empenho. A si, o meu Bem-Haja.
    Vamos continuar a fazer e bem, porque as Pessoas merecem e nós, Técnicos, também!

  2. Uma clarificação. As afirmações são do presidente do Sindicato dos Enfermeiros, e não do Bastonário. De qualquer modo, que fique claro que não jogo o jogo das dicotomias fáceis de uns contra os outros. Índios e cowboys, bons e maus, profissões contra profissões. Tenho a maior estima pelos enfermeiros, com quem tenho trabalhado ao longo de muitos anos, em muitos contextos. As afirmações ficam com quem as produz, e assim devem ser entendidas. É bom atribuir a César o que é César.

  3. Jose Miguel diz:

    Na minha opinião três dos grandes entraves na compreensão do papel e eficácia do psicólogo são:
    – por um lado a expectativa do cidadão comum de que é numa consulta que os problemas se resolvem.

    – por outro lado o elevado custo da maioria das consultas de psicologia a nível particular também afasta muita gente do psicólogo (Em portugal parece ser um luxo ir ao psicólogo, é mais barato a injecção de um enfermeiro que é igualmente um cuidado de saúde. E se antes, durante, e após a consulta o psicólogo tem trabalho de casa para fazer o professor e outros também têm! Este hábito de cobrar demasiado caro pelas consultas parece quase uma coisa “aristocrática”).

    – por último a saúde mental em portugal parece valer pouco ou nada aos olhos de quem nos tem governado desde sempre.

  4. Tiago Caldeira diz:

    Não é novo que os enfermeiros, ou melhor, que alguma classe de enfermeiros se achem como uma espécie de sabem tudo, fazem tudo, eles são Médicos, eles são Psicólogos eles fazem de Assistentes Sociais, …, e depois, visto por quem sabe do oficio, vê bem as trapalhadas e as aberrações que cometem. Sendo Psicólogo experimentado, já assisti a isto em vários serviços de Psiquiatria, fazerem o que não sabem e por isso fazerem mal, mas, não sabem que o que estão a fazer pode inclusive ser contraproducente.
    Grave, não é o estarem a fazer mal, pois isso de forma ignorante, não sabem que estão a fazê-lo dessa maneira.
    Gravíssimo é fazerem, e pensarem que estão a fazê-lo e a fazê-lo bem.
    Como gravíssimo é, embora não tendo lido tal texto, mas fazendo fé nas palavras e veracidade do Bastonário da Ordem dos Psicólogos, alguém com as responsabilidades de um bastonário mostrar e expor tanta ignorância num saber que não é opinativo de senso comum, e este usar isso para algo que é cientifico.
    Só deixa mal e muito mal, em termos da própria credibilidade que os enfermeiros no geral merecem, a quem tem responsabilidades na deontologia e ética das práticas de, e na enfermagem.
    Como Psicólogo, não me atrevo a fazer de enfermeiro, pois tenho consciência que posso estar a fazer mal, com repercussões para a pessoa agora, pelos vistos o Sr. Bastonário dos enfermeiros achará que sabe ser Psicólogo, como aliás a maior parte do comum dos mortais acha que percebe de Psicologia,e Medicina e…., talvez este sr. não entenda a diferença entre ter informação e ter conhecimentos, saber e saber fazer. Mesmo após licenciatura, são precisos muitas horas de leitura e formação e prática adicional, para se alcançar uma prática minimamente aceitável, mas claro, quem não está na área não saberá disso, como será o caso sr. Enfermeiro Bastonário.
    Mas nem tudo é grave, pois trabalho com muitos enfermeiro responsáveis, que pedem ajuda, sabem e conhecem a diferença entre quem sabe fazer profissionalmente e quem acha que sabe fazer, e muitas vezes . . .faz e . . . faz mal.

  5. Ao ler as declarações infelizes do Presidente da Direcção do Sindicato dos Enfermeiros, não sei se fiquei mais perplexo com o desconhecimento total do trabalho realizado pelos psicólogos, se pela maneira vulgar e simplista como escreve sobre o assunto. Não podendo comparar o que é incomparável, não pude deixar de sentir que não tem um Bastonário como o Prof. Telmo Mourinho Baptista quem quer! Obrigado por continuar a defender os interesses dos psicólogos portugueses e, por inerência, de todos os portugueses, com o profissionalismo, empenho e elevação com que tem pautado todas as suas intervenções. Bem aja!

  6. Miguel diz:

    O seu comentário ao Director do Sindicato dos Enfermeiros encheu-me de orgulho. Acho que temos que afirmar a Psicologia dessa forma, mostrando, e porque é verdade, que é baseada em evidência científica e não em tretas.

São aprovados todos os comentários em que o leitor expressa as suas opiniões. Os comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, etc.), links externos, que sejam ininteligíveis e que não façam qualquer referência ao post em questão, não serão aprovados.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s